09/06/16

João Henrique pede prioridade em construção de barragens subterrâneas




O deputado estadual João Henrique (DEM), nesta terça-feira (7), comemorou a aprovação de diversos requerimentos de sua autoria no plenário da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB).

Os pedidos de ações contra seca, em caráter preventivo, apresentados pelo parlamentar, serão encaminhados pelo Poder Legislativo à Secretaria de Estado da Infraestrutura, dos Recursos Hídricos, do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia da Paraíba, para que seja dada prioridade no programa de construção de barragens subterrâneas em municípios do Cariri paraibano, região que vem sendo castigada com a estiagem.

Para garantir que seus pedidos sejam atendidos pelo Governo do Estado e viabilizada a construção das barragens, João Henrique destinou emendas que estão inseridas na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) 2017.

De acordo com o parlamentar, dezessete cidades do Cariri deverão ser beneficiadas com as construções das barragens: Monteiro, Amparo, Assunção, Camalaú, Congo, Coxixola, Livramento, Ouro Velho, Pararí, Prata, São João do Tigre, São José dos Cordeiros, São Sebastião do Umbuzeiro, Serra Branca, Sumé, Taperoá e Zabelê.

“As barragens subterrâneas têm sido uma alternativa viável para muitos municípios nordestinos, garantindo, sobretudo, a sobrevivência do homem do campo com dignidade. Nossos pedidos para que as barragens sejam construídas na região do Cariri foram aprovados e, além disso, destinei emendas à LDO para garantir que não falte orçamento para execução dessas obras que são prioritárias para o povo caririzeiro que vem sofrendo com a seca”, destacou João Henrique.

As barragens subterrâneas são construídas durante o período seco. Para tanto, são utilizadas lonas plásticas enterradas no subsolo dos leitos de rios e riachos para barrar o escoamento da água das chuvas que circula no solo.

A escavação deve ser perpendicular ao sentido da descida das águas até a profundidade onde se encontra a camada mais dura do subsolo, normalmente chegando até 4 metros de profundidade. Mas, dependendo das condições do terreno, a vala cavada pode se estender entre 30m e 100m. Nela, é estendida a lona plástica com 200 micras de espessura.


Nenhum comentário:

Postar um comentário