02/08/16

MUNICÍPIOS DE PRATA E CONGO ESTÃO ENTRE OS MELHORES AVALIADOS DIANTE DA CRISE DAS PREFEITURAS






O Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF), divulgado na quinta-feira (28) pelo Sistema FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), revela que 99,5% das prefeituras paraibanas têm situação fiscal difícil ou crítica. Apenas uma cidade apresenta boa gestão fiscal e nenhuma tem gestão de excelência. De acordo com a Federação das Indústrias, a Paraíba é o estado com o maior percentual de prefeituras mal avaliadas no IFGF. Além disso, entre os 500 piores resultados do Brasil no índice, 75 são paraibanos, uma das maiores proporções do país.

Com base em dados oficiais de 2015, declarados pelas próprias prefeituras à Secretaria do Tesouro Nacional (STN), o IFGF apresenta um panorama completo e inédito da situação fiscal de 4.688 municípios brasileiros, onde vive 89,4% da população. O objetivo é avaliar como é administrada a carga tributária paga pela sociedade. Na Paraíba, foram analisados 194 dos 223 municípios. A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) determina que as cidades brasileiras devem encaminhar suas contas públicas para a STN até 30 de abril do ano seguinte ao exercício de referência, a partir de quando o órgão dispõe de 60 dias para disponibilizá-las ao público.


No ranking da Paraíba, os municípios mais bem avaliados são Bernardino Batista, com 0,6069 ponto, seguido de Uiraúna, Poço Dantas, Prata, João Pessoa, São Domingos do Cariri, Paulista, Congo, Tavares e São João do Tigre. O destaque entre essas cidades com os melhores índices foi do IFGF Custo da Dívida, já que oito delas conquistaram grau de excelência nesse indicador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário