01/09/16

Águas da transposição só chegam a Boqueirão em abril de 2017, diz ANA





 As águas da transposição do Rio São Francisco só devem chegar ao açude Epitácio Pessoa, conhecido como “Boqueirão”, no Cariri paraibano, no mês de abril de 2017. A informação foi confirmada pelo Ministério da Integração e divulgada pela Associação Comercial de Campina Grande (ACCG) nesta quarta-feira (31).

Segundo a associação, a falta de água tem atrapalhado a economia da cidade. Devido a crise hídrica e necessidade de racionamento de água, alguns estabelecimentos da cidade passaram a ser abastecidos por carros-pipa. No centro da cidade, onde se concentra a economia local, o racionamento deixa o bairro sem água das 13h do sábado até 0h da quinta-feira todas as semanas.

Com a crise de água, o único negócio que está com lucros em alta na cidade é o de venda de baldes e caixas de água, segundo a ACCG.

“Isso gera um transtorno muito grande para toda a população de Campina Grande e não só para o comércio. Na medida em que as pessoas gastam mais para consumir água de qualidade, elas deixam de consumir outros produtos”, disse o presidente da ACCG, Álvaro Barros.


No mês de junho deste ano, a ACCG enviou um relatório feio pela comissão de recursos hídricos da Câmara de Vereadores de Campina Grande, feito em parceria com a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), que pede respostas sobre a transposição das águas do Rio São Francisco. “Há uma estimativa de que depois que as águas cheguem ao açude de Poções, em Monteiro, leve um tempo de 60 a 90 dias para que as águas cheguem no açude de Boqueirão”, disse Álvaro barros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário