05/10/16

Meu pequeno, Grande cantor



Por Luiz Carlos Amorim 

Na minha vizinhança há um pássaro que canta muito, canta incansavelmente, canta todo o tempo. Às vezes, acordo de madrugada com ele cantando no fio do poste em frente a minha casa. Gosto do canto de passarinhos e não acho que seja simplemente barulho, de jeito nenhum. Acho que eles são a voz da natureza. Mas esse passarinho – é sempre o mesmo passarinho – canta às vezes feliz, outras vezes parece lamentar, parece estar chamando alguém, parace sentir a falta de alguém, eu diria que parece sentir saudades de alguém, pois seu canto, de repente, fica triste. Às vezes parece reclamar de alguma coisa, outras vezes parece estar falando com alguém. Parece, ainda, outras vezes, estrar bravo, chateado com alguma coisa.

É possível que um ser tão belo e tão pequeno possa ter sentimentos tão diferentes? Pois acho que o passarinho que adotou o trecho da rua onde moro, nos últimos tempos, é capaz de sentimentos e emoções. Acho, algumas vezes, que ele está esperando alguém, que está procurando alguém. Será o seu grande amor?

Não sei, não entendo a língua dos passarinhos – e gostaria de entender -, mas percebo as diveresas nuances do seu cantar, do seu trinado. Ele canta de maneiras diferentes e penso que cada maneira diferente de cantar que dizer uma coisa diferente. O que ele pede, com tanta veemência? O que ele procura? O que o faz feliz? Gostaria de saber o que sente meu pequeno vizinho.

É muito solitário, o passarinho da minha rua. Está sempre só. Estará procurando sua cara-metade? Queria poder ajudá-lo, passarinho. Ninguém deve ficar sozinho. E vejo você, dia após dia, sem companhia, cantando a plenos pulmões o dia inteiro, a noite inteira. Como disse, às vezes até canta com tristeza. E eu fico triste também. Não me importa que ele me acorde à noite, mas isso me faz lembrar de que ele está lá fora, só.

Torço para que ele encontre quem ele está procurando, quem ele chama com tanta insistência. Torço muito para que quem ele espera responda aos seus chamados. Vou sentir falta do seu canto, mas saberei que ele estará feliz. E ficarei feliz também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário