27/12/2016

Acordo antecipa em 30 dias chegada da água do Rio São Francisco à Paraíba




A vice-governadora Lígia Feliciano participou, nesta segunda-feira (26), no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, da solenidade de assinatura do termo de cessão de uso não onerosa de bombas que vão viabilizar a antecipação da chegada da água do Projeto de Integração do Rio São Francisco aos estados da Paraíba e de Pernambuco. O documento foi assinado pelo ministro da Integração Nacional Helder Barbalho e pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Na reta final de conclusão do Projeto de Integração do Rio São Francisco e com ritmo avançado das obras, a preocupação do Governo Federal é assegurar que todas as medidas possíveis sejam adotadas para acelerar a entrega de água à população castigada pelo quinto ano seguido de seca.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disponibilizou ao Ministério da Integração Nacional quatro conjuntos de motobombas e outros equipamentos da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) para antecipar a chegada da água do Rio São Francisco aos estados da Paraíba e de Pernambuco. O empréstimo dos equipamentos - utilizados durante o período de restrição hídrica em São Paulo - vai acelerar a passagem da água pelas estruturas já construídas do Eixo Leste do Projeto São Francisco e permitir que os paraibanos, principalmente os moradores da cidade de Campina Grande, sejam beneficiados já no início de 2017.

“A Paraíba enfrenta há mais de 5 anos a maior seca nos últimos 50 anos. O Governo do Estado e o governador Ricardo Coutinho têm trabalhado incansavelmente para amenizar os efeitos da seca e o sofrimento do nosso povo, como a construção de açudes, barragens, dessalinizadores, em parceira com o Governo federal, procurando de todas as maneiras proteger o povo paraibano e melhorar as condições hídricas. Estamos fazendo o canal Acauã-Araçagi, que é a segunda  maior obra hídrica depois da transposição, estamos também fazendo adutoras, já são mais de 900 quilômetros resolvendo pontualmente o problema em várias cidades, mas a grande esperança é a chegada da transposição do São Francisco”,destacou a vice-governadora Lígia Feliciano.

milhões de brasileiros algo tão essencial, tão caro e, lamentavelmente, tão escasso nos dias de hoje: a água. Esse ato demonstra claramente o espírito de união, de responsabilidade pública e do espírito de que não vamos medir qualquer esforço para garantir que a sociedade brasileira possa viver, de maneira universal, o acesso à água”, afirmou o ministro Helder Barbalho.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, falou da oportunidade de apoiar a população nordestina. “É uma alegria poder colaborar com o Nordeste. Dias fazem muita diferença quando se trata de água. Essa é uma oportunidade de retribuirmos aos nordestinos por toda a contribuição no desenvolvimento de São Paulo. Além disso, de fortalecermos a federação. O Brasil é um país muito grande e não pode ser unitário”, ressaltou Alckmin.

O equipamento cedido consiste em quatro conjuntos de bombas flutuantes, cada um com capacidade de bombear até 2.000 litros de água bruta por segundo, e será levado ao canteiro de obras do Projeto São Francisco, em Floresta - PE, para ser instalado dentro do reservatório de Braúnas, onde as bombas vão elevar as águas do São Francisco para abastecer o próximo reservatório, de Mandantes, no mesmo município. 

A previsão é de que esse procedimento acelere o caminho da água e encurte em até 30 dias a chegada das águas ao município de Monteiro, primeira cidade paraibana a ser beneficiada. De Monteiro, as águas seguirão pelo rio Paraíba até Campina Grande.


De acordo com a Sabesp, a cessão do equipamento e demais materiais necessários para sua instalação, orçados em R$ 8,26 milhões, será pelo período mínimo de 120 dias, com possibilidade de prorrogação. Não haverá qualquer custo aos beneficiados. A Sabesp prestará ainda o apoio técnico necessário para a instalação e a operação das bombas. Além dos quatro conjuntos de bombas flutuantes, cada um com dois motores e potência combinada de 350 cv, a Sabesp vai fornecer a estrutura necessária para sua operação, o que inclui dois conjuntos de motores como reserva, bem como 1.800 metros de tubulação para o transporte da água captada, 1.360 metros de cabos elétricos, inversores de frequência e disjuntores, além de outros itens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário