03/04/2017

Coluna Olho Vivo

Por Simorion Matos
                                                            
SÃO FRANCISCO E SÃO PEDRO: ÁGUAS MISTURADAS
Depois de estar recebendo desde o dia 9 de março as águas do São Francisco por intermédio da transposição, a cidade de Monteiro recebeu na noite do sábado mais uma transposição. Uma chuva de 110 milímetros e com duração superior a 60 minutos encheu de alegria a nação monteirense e misturou as águas do São Francisco com as águas de São Pedro, que correram juntas e misturadas no leito do Rio Paraíba para a barragem São José, açude Poções, açude de Camalaú e açude de Boqueirão.
O porteiro do céu abriu o chuveiro da mansão divina e proporcionou um banho de entusiasmo e euforia.

Com as águas do São Francisco e de São Pedro, Monteiro já tem água para o abastecimento normal da cidade.

O PRESIDENTE NO MAIÚSCULO E NO MINÚSCULO
A pesquisa feita pelo Ibope e divulgada na noite da sexta-feira, 31, mostra que a grande maioria dos brasileiros considera o governo do presidente Michel Temer como ruim ou péssimo e deseja a sua saída. Na história da política brasileira foi o presidente que em menor tempo de governo mais conseguiu aumentar a sua rejeição. As medidas antipopulares que vêm sendo anunciadas, como a terceirização e a reforma da previdência, são alguns dos pontos que mais contribuem para o elevado índice de rejeição do vice que foi apoiado pelo PT e seus aliados, hoje ocupante da cadeira presidencial que a esquerda pretende recuperar.

Antes os petistas e aliados gritavam Temer Temer. Agora, alegando terem sido vítimas de um golpe, os partidários e simpatizantes de Lula e Dilma, além de boa parte do próprio centro e da direita dizem  temer Temer.

Há quem diga que é preciso Temer temer a justiça e o Congresso Nacional para, revendo a sua postura e os seus projetos de governo, tentar permanecer no poder.
Enquanto isso, o povo TREME de raiva.                                                                                         .
 PEDRA OU ASFALTO?
O vereador Courão da Carrocinha (PHS) foi, para muitos, a grande surpresa da eleição em Monteiro. Pobre, abandonado pela mulher, com pouco estudo, não fazia parte das listas de possíveis eleitos. Mas obteve 784 votos, sem gastar um real. Até o palitó para a sua posse foi patrocinado pelos amigos.

Pois bem, Courão está dando o seu recado na Câmara Municipal de Monteiro e, recentemente, apresentou um projeto, no mínimo, polêmico. Courão pede que a avenida principal de Monteiro seja asfaltada. Para o vereador, o ideal é retirar o calçamento com paralelos implantado há maia de 100 anos, colocando-se uma camada de asfalto.

Os mais progressistas aplaudiram a idéia, porém os mais conservadores discordam, alegando que o piso do centro da cidade é histórico e que o asfalto provocaria o aumento da temperatura.

Em resumo: Courão conseguiu chamar a atenção e a sua indicação vai provocar muita discussão. Já mostrou que está presente no parlamento municipal.

TEMER E LULA DEVEM VOLTAR A MONTEIRO  
O MPF – Ministério Público Federal em Monteiro publicou na sexta-feira, 31, uma nota afirmando que a obra da transposição na Paraíba não está concluída, estando em fase de pré-operação e testes. Segundo o MPF as obras de adequação necessárias nas barragens Poções, Camalaú e Boqueirão não foram concluídas, bem como não foram elaborados os planos de ação de emergência e/ou de contingência para acidentes e ainda não há certeza técnico-científica acerca da qualidade da água, sem o devido tratamento, nos mananciais para consumo humano.

A obra, como se estivesse pronta, já foi inaugurada duas vezes, uma pelo presidente Michel Temer e outra pelo ex-presidente Lula e pela ex-presidenta Dilma.
Já tem gente dizendo que vai entrar na justiça com um processo de propaganda enganosa contra o atual e os ex-presidentes, exigindo que, após ser realmente concluída a obra eles voltem a Monteiro para novas inaugurações.
                                                                                              
PONTO TURÍSTICO
O desemboque das águas que chegam a Monteiro através da transposição do rio São Francisco, ao lado da ponte na entrada da cidade, virou ponto turístico. Semanalmente, principalmente aos domingos, dezenas de pessoas oriundas de várias cidades visitam Monteiro para conhecer o local aonde as águas do Velho Chico chegam ao rio Paraíba para percorrerem dezenas de quilômetros e chegarem ao açude de Boqueirão.
A prefeita Anna Lorena já determinou à sua equipe de auxiliares atenção especial com o local, principalmente quanto à limpeza, para que a população e os turistas disponham sempre de um ambiente saudável e bem estruturado.

O TRABALHO CONTINUA
A prefeita Anna Lorena entregou mais uma Unidade Básica de Saúde na zona rural de Monteiro, na comunidade de Bonome, com instalações modernas e bem equipada. A obra foi iniciada na gestão de Edna Henrique, que inclusive participou da inauguração, como convidada especial da prefeita Anna Lorena
O evento de inauguração, realizado na quinta-feira, 30, foi bem prestigiado, contando também com a presença do deputado João Henrique.

PENSAMENTO DA SEMANA:                           
“Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros.”
Che Guevara

COISAS & CASOS
O extraordinário poeta Lourival Batista - Louro do Pajeú, com quem tivemos o prazer de conviver por muito tempo,  inclusive participando da festa poética do seu aniversário que era realizada anualmente no dia 6 de janeiro em São José do Egito, nos deixou um acervo de versos memoráveis. Certa vez, cantando com o rei do trocadilho, Canhotinho terminou uma estrofe dizendo: Já sinto o peso dos anos / Querendo roubar-me a paz.

Louro respondeu assim:

Presente, por que não foges?
Passado, por que não voltas?

No mote dado pelo tribuno Raimundo Asfora “Não tive amores sonhei-os / Mas possuí-los não pude”, Lourival fez esta belíssima estrofe:

Na vida senti abalos
E desesperos medonhos
Sonhei sonhos e mais sonhos
Sem poder realizá-los
Na fronte inda trago os halos
Das auras da juventude
Porém não tive a virtude
De dormir entre dois seios
Não tive amores, sonhei-os
Mas, possuí-los não pude.

É dele, também, o belíssimo verso que compara a mocidade com a velhice:

A PARTE QUE ILUMINOU

Do gosto para o desgosto
O quadro é bem diferente,
Ser moço é ser sol nascente,
Ser velho é ser um sol-posto.
Pelas rugas do meu rosto
O que eu fui, hoje não sou,
Ontem estive, hoje não estou
Que o sol ao nascer fulgura,
Mas ao se por deixa escura
A parte que iluminou


Contatos com a coluna: simorionmatos@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário