22/05/2017

COLUNA OLHO VIVO




OLHO VIVO

Por Simorion Matos



E AGORA, BRASIL?

Após as delações bombásticas da Odebrecht e da JBS, a nação brasileira constata que os maiores partidos políticos, PT, PMDB e PSDB estão envolvidos em grandiosos escândalos, com pedido e recebimento de propinas e utilização da gestão pública para favorecimento pessoal, causando sérios prejuízos ao país. Além do envolvimento dos maiores partidos, as denúncias atingem também legendas partidárias de menor porte, da direita e da esquerda.

Diante do quadro que se apresenta, fica no ar uma pergunta: e agora Brasil?

Com quase toda a classe política contaminada, quem o povo deverá escolher para governar o país?

SEMANA DECISIVA

Os próximos 8 dias deverão ser decisivos para o futuro político do Brasil. Se Temer conseguir ultrapassar este período comandando o país naturalmente, sem uma reação mais forte do TSE ou do STF, dará um passo importante para amortecer a pressão sobre o seu mandato e ganhará fôlego para continuar respirando, mesmo com aparelhos. O grande problema na atualidade política brasileira é que não existem grandes opções para preenchimento da presidência, se o cargo ficar vago.

Se os marketeiros do presidente forem realmente eficientes, deverão aconselhar Temer a parar com essa história de reforma trabalhista e da previdência, para aliviar a pressão popular.

AGRADECIMENTO AOS PRINCESENSES

Desejo agradecer aos companheiros Janduí Sabino, Anna Karolyne e a todos da Rádio Princesa Isabel pelo apoio e dedicação durante o período que passamos juntos, colaborando com as atividades da emissora. Foram 6 anos atuando em equipe com respeito e companheirismo, vivenciando bons resultados, enfrentando dificuldades, superando obstáculos.

Ao final desta jornada, podemos de fronte erguida olhar no olho de cada cidadão ou de cada autoridade princesense com a convicção de que atuamos sempre com ética, imparcialidade, profissionalismo e construímos amizades, honrando o padrão e as diretrizes do Grupo João Henrique.

Um grande abraço para a terra de Alcides Carneiro, Canhoto da Paraíba, Manoel Marrocos, Aloysio Pereira, Nominando Diniz, Tião Lucena e tantos outros que engrandeceram e engrandecem o pequenino pedaço de chão que deu à Paraíba lições de determinação e coragem.

CHUMBO GROSSO

Nos bastidores de Brasília, há quem admita que as delações da Odebrecht e da JBS são fichinha diante do que pode v ir à tona, se Antônio Palocci e Eduardo Cunha resolverem contar tudo que sabem sobre os esgotos da Praça dos 3 Poderes.

Comenta-se que os efeitos dessas possíveis delações poderão ser mais devastadores que a artilharia atômica da Coréia do Norte.

ANIVERSÁRIO DE MONTEIRO

No próximo dia 28 de junho, Monteiro estará completando 145 anos de emancipação política.

A prefeita Anna Lorena está definindo a programação comemorativa, que marca o encerramento do São João de Monteiro – Uma Festa Cada Vez Melhor.

A programação dos festejos juninos e do aniversário da cidade deverá ser divulgada nos próximos dias.

NOVOS INVESTIMENTOS

O empresário Ronaldo Borges anuncia para muito breve a chegada de novos investimentos em Monteiro, nas áreas de mídia, cosméticos, construção civil e outro empreendimentos, através da GALEGA.

Será um belo exemplo de monteirense que venceu fora de casa e, com a vida consolidada, volta às origens pra investir na terrinha.

PENSAMENTO DA SEMANA:

“A gratidão é o único tesouro dos humildes”.

William Shakespeare

COISAS & CASOS

A resposta de Silva Brito aos burocratas do governo

Alexandre da Silva Brito, filho de São João do Cariri, foi um dos maiores líderes da política monteirense. Prefeito por várias vezes, o seu último mandato foi de 1977 a 1982.

Era um homem sem meias palavras, muito decidido e que não pensava duas vezes para dar uma resposta, mesmo que a sua positividade pudesse desagradar alguém.

Ano de 1980. O governador da Paraíba era Tarcísio Burity, com quem Silva Brito estava chateado, porque o seu governo não vinha atendendo as reivindicações do município. Quem conhecia o temperamento do prefeito sabia que na primeira oportunidade que tivesse perante alguém do governo, ele iria expressar aquela insatisfação.

Certa manhã do mês de março, estava este escrevinhador (na época, seu chefe de gabinete) com o prefeito, começando o expediente. A sala já estava cheia de gente, porque não existia protocolo pra se falar com ele, quem chegasse ia entrando.

De repente chega à prefeitura uma equipe formada por 3 pessoas do governo estadual. Fui recebê-las e informaram que eram da Secretaria da Educação. Disseram também que tinham vindo por determinação do governador, falar com o prefeito.

Apressei-me em conduzi-los ao gabinete. Ao recebê-los, o prefeito foi logo alfinetando:

– Espero que tenham trazido alguma coisa importante para o município.

Uma senhora que fazia parte da equipe, pensando em agradar, falou:

– Prefeito, o governador nos mandou aqui para fazermos um diagnóstico das carências educacionais do município, para que o governo possa planejar as ações de apoio.

Silva Brito fez que não entendeu direito e interrogou:

– E como vocês fazem esse tal diagnóstico?

Um senhor de cabelos grisalhos que também era da equipe, apressou-se em explicar:

– Nós iremos passar 2 dias visitando as escolas para identificar as demandas e faremos um relatório que será encaminhado ao Secretário da Educação, que por sua vez encaminhará ao governador.

Imediatamente, Silva Brito levantou-se e perguntou a eles se já tinham tomado café.

– Já, prefeito, não se preocupe.

De pé, estendendo a mão para os cumprimentos de despedida, o líder monteirense foi direto, dizendo:

– Vocês podem voltar agora pra João Pessoa que aqui a gente já sabe do que as escolas precisam, sem precisar desse diagnóstico. Digam ao professor que mande livros, cadernos, lápis, farda e merenda. E boa viagem.


Contatos com a coluna: simorionmatos@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário