18/09/2017

COLUNA OLHO VIVO- SIMORION MATOS






 FESTA DA PADROEIRA

Terminou na sexta-feira, 15, a tradicional Festa da Padroeira de Monteiro, em meio a muitos comentários por parte da comunidade católica. Muita gente lamentando que, nos últimos anos, a programação social tenha sido bastante esvaziada, principalmente com a mudança da parte festiva que movimentava o pavilhão ao lado da igreja.

“É um grande evento religioso que sempre teve uma parte social bem movimentada, mas agora esvaziada”, comentava um fervoroso freqüentador.

ANOS DOURADOS

Nos seus anos dourados, principalmente na época do padre Damião Ferreira dos Santos, quando terminavam as novenas a população superlotava o pavilhão em momentos de confraternização, ao som das bandas e dos artistas locais. Até os padres holandeses cantavam serestas no pavilhão. Ultimamente as apresentações musicais tiveram predominância de bandas religiosas.

Os saudosistas lembram o famoso Parque Lima, o Parque Trianon e o Parque de Adelson Targino, além dos leilões, do passeio, o pastoril dos cordões azul e encarnado, além das “tuias” de abacaxi nos canteiros da rua principal. .

SINALIZANDO CANDIDATURAS

O ex-prefeito e ex-deputado Carlos Batinga, que andava afastado dos acontecimentos sociais e políticos de Monteiro, reapareceu na festa da Padroeira, participando inclusive da missa do vaqueiro.

A presença de Batinga reanimou seus amigos e correligionários, que sentiram a possibilidade de confirmação da sua candidatura a deputado estadual nas eleições de 2018. Há alguns dias, Batinga concedeu entrevista à imprensa paraibana e informou que só seria candidato a deputado se o atual prefeito de João Pessoa Luciano Cartaxo, de quem é secretário, for candidato a governador.

Com essa movimentação política ocorrida na semana passada, o ex-prefeito monteirense sinaliza duas possíveis candidaturas: a de Luciano Cartaxo e a sua.

LORENA APÓIA WELLINGTON ROBERTO

A prefeita de Monteiro, Anna Lorena, confirma o seu apoio à candidatura de Wellington Roberto à Câmara Federal. O deputado foi recebido pela prefeita durante a festa da padroeira e visitou obras que estão sendo executadas no município com recursos viabilizados através da sua ação parlamentar.

Na recepção a Wellington Roberto, Lorena esteve acompanhada do vice-prefeito Celecileno Alves, integrantes da equipe de governo e vários vereadores.

ALTA POPULARIDADE

A boa aceitação do trabalho desenvolvido pela prefeita Anna Lorena pode ser sentida nas ruas da cidade. Caminhando no meio do povo durante a tradicional festa de Nossa Senhora das Dôres, padroeira de Monteiro, a prefeita foi bastante cumprimentada e abraçada por populares. Muita gente inclusive fazendo fotos com ela, numa demonstração de simpatia e apoio.

PRESERVAÇÃO AMBIENTAL

Realizou-se no dia 14 de agosto, no gabinete da reitoria da Universidade Federal de Campina Grande – UFCG, importante e histórico evento que marcou o ato de doação de terras que fez Agassiz Almeida de uma área de 246 hectares, situada na localidade Canudos, município de Boa Vista, destinada a uma reserva de preservação ambiental para estudos e pesquisas da flora e fauna do Cariri paraibano.

Com as presenças do reitor da UFCG Vicemário Simões, professores e pesquisadores integrados ao projeto de preservação ambiental, o reitor recebeu das mãos do escritor e professor Agassiz Almeida documento de cessão da área.

TURISMO EM ALTA

Monteiro está se consolidando como cidade turística, principalmente no tocante ao turismo de eventos e turismo cultural.

Após sediar no mês de agosto o I Eco Bike Pedala Cariri com a participação de centenas de ciclistas de quatro estados do Nordeste, neste final de semana aconteceu o Encontro de Aeromodelismo, com presença de praticantes de diversas cidades dos Estados da Paraíba, Pernambuco e Alagoas. O evento foi considerado um dos maiores já realizados na região, numa pista de pouso asfaltada com 1.200 mil metros e o total apoio da Prefeitura de Monteiro.

PENSAMENTO DA SEMANA:

“Eu não sou louco. É o mundo que não entende a minha lucidez”.
(Raul Seixas)

COISAS & CASOS

Praça João Pessoa, um canteiro de saudade

Nesta época de Festa da Padroeira, vale a pena lembrar a Praça João Pessoa, que sempre foi o principal ponto de referência da cidade de Monteiro. Mais do que isso, foi e sempre será um espaço nobre para o esperado reencontro, o gostoso bate papo, o lazer agradável.

É bom recordar a velha praça onde as manhãs começavam com o passeio das normalistas do Colégio das Lourdinas.

Numa paralela, a Rua Padre Artur Cavalcante com o Aero Club (depois Paraiban), o Cartório de Doutor Jayme, a farmácia de seu Oswaldo, o casarão de Joaquim Lafayette, a casa de Pedrosa Amador, a Casa de Monsenhor João Honório e mais recentemente o Bar da Brecha,

Na outra paralela, a Rua Getúlio Vargas com a casa de Oscar Neves, o chalé de Nestor Bezerra, a casa de dona Cordeira, o bangalô de Heronides Viana, a farmácia e a casa de seu Alcindo, a casa de Silva Brito e o palacete do Doutor Jayme Menezes.

Numa transversal destacava-se a Casa Raphael, de Darcílio Gomes Raphael, a sinuca de Pinincha e o bar de Alamir. Na outra transversal, a casa de Manoel Bento.

No meio desse território, a majestosa praça cujo nome era gravado em grandes letras de cimento. O coreto velho, que tinha o bar de Joquinha, abrigou grandes momentos, entre eles o show de Nilo Amaro e Seus Cantores de Ébano, interpretando “Uirapuru”, clássico do cancioneiro popular brasileiro.

Demolido na gestão de Arnaldo Lafayette, anos depois foi construído um novo coreto, no primeiro governo de Antônio Nunes. Nele, existias o bar de Chico, com animadas serestas, onde Zé Dedé e Didi de Abelardo eram assíduos freqüentadores.

Nesse coreto, numa certa madrugada de domingo, vindos de um show que havia acontecido na vizinha cidade de Sertânia, farramos até o dia amanhecer: eu, Antônio Tourinho e Cici de Filó, o rei da roedeira Waldik Soriano e uma grande quantidade de fãs que invadiram o bar, quando souberam da presença de Waldik.

Os pés de agalha que rodeavam a praça, ofereciam a sombra amena das tardes caririzeiras. Em baixo de um deles, na esquina em frente ao bar de Alamir, a cadeira de engraxate de Manoel Pitelo.

Hoje modernizada e bem iluminada, a Praça João Pessoa é cada vez mais o ponto de encontro da comunidade monteirense. A praça de hoje é um monumento de beleza e alegria. A de ontem, um canteiro de história e de saudade.

Contatos com a coluna: simorionmatos@gmail.com

Por Simorion Matos

Nenhum comentário:

Postar um comentário