14/11/2017

A RUA ONDE EU BRINCAVA E O MENINO COM FIMOSE




Vou contar o “causo”, mas não vou contar o protagonista e peço para os amigos que vão se lembrar que não entreguem nosso amiguinho.

Na rua onde eu brincava, teve um garotinho que certa vez teve que se submeter à uma cirurgia de fimose e passou um bom período literalmente segurando as caçolas para que a mesma nem sequer tocasse no “dito cujo” operado.

Mas como as brincadeiras da nossa rua eram irresistíveis e ninguém queria ficar de fora, mesmo quando estávamos doentes, (eu mesmo me lembro que toda vez que eu adoecia, passava por cima das ordens de mamãe e ia brincar, por que era muito divertida nossa rua), o rapazola ainda conseguiu continuar com suas atividades mesmo operado em lugar tão “sensível”.

Ele apitava os jogos de basquete, e improvisava em outras atividades nas brincadeiras, mas sempre com os dedinhos segurando os fundilhos do calção, para que de forma alguma o mesmo sequer tocasse no local da operação.


Peço mais uma vez, que não entreguem a “vítima” do texto, mas tenho certeza que todos vão se lembrar quem era.

POR FÁBIO BRITO

Nenhum comentário:

Postar um comentário