07/11/2017

Dr. Neto diz que operação é um “equívoco” e ao final provará inocência





O ex-prefeito de Sumé Francisco Neto, foi um dos alvos da Operação Titânio, desencadeada na manhã desta terça-feira (07) em uma ação conjunta do Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União, Polícia Federal e Ministério Público Federal.

Dr. Neto, como é conhecido na cidade, foi abordado dentro de casa e levado para depor na sede da Polícia Federal em Campina Grande, no processo que investiga possíveis irregularidades no programa Brasil Sorridente do Governo Federal, que fornece implantes dentários e próteses pelo Sistema Único de Saúde.

O ex-gestor informou que a denúncia de que tenha acontecido desvio de R$ 9 milhões do programa é um ‘equívoco’ devido a quantidade de atendimentos realizados.

“O Brasil Sorridente se expandiu e muita gente de fora começou a procurar o serviço, que atendeu a  população de Sumé e outras 18 cidades do Cariri paraibano. Baseado nisso, eles acham que a cidade que tem 20 mil habitantes, apresentou uma quantidade muito grande de atendimento, gerando uma suspeita de que havia atendimento indevido”, pontuou.

Além de Francisco, dois sócios da empresa que presta o serviço também foram levados para depor. Os agentes também estiveram na sede da Prefeitura e no consultório onde se realizaram os implantes e cumpriram mandados de busca e apreensão.


Com Bruno Lira

Nenhum comentário:

Postar um comentário