09/04/2018

Caravana das Águas e da Agroecologia visitará famílias ribeirinhas do canal da Transposição






Entre os dias 10 e 12 abril, a Rede Água da Articulação do Semiárido Paraibano – ASA Paraíba em parceria com outros movimentos sociais do campo como a Pastoral da Juventude Rural – PJR, o Movimento dos Atingidos por Barragem – MAB e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST, realizará a “Caravana das Águas e da Agroecologia”. O evento terá início no Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido – CDSA do Campus Sumé-PB da Universidade Federal de Campina Grande – UFCG, que também apóia o evento. A caravana pretende percorrer quatro municípios por onde passa o canal da Transposição do Rio São Francisco conhecendo a realidade das populações afetadas, pela obra.

O evento faz parte do processo preparatório da Paraíba para o IV Encontro Nacional de Agroecologia (ENA) e tem como objetivos refletir sobre as políticas públicas de acesso à água no estado e sobre o modelo de gestão das águas, tendo como foco a Transposição do Rio São Francisco.
  
Busca ainda compreender os impactos da transposição para as populações locais e construir estratégias de ação na perspectiva do acesso à água como direito e bem comum. “A Transposição é hoje a maior política pública de recursos hídricos no nosso estado, por isso precisamos entender como será feita a gestão dessa água, quais seus usos e de que forma ela atende as populações difusas do semiárido”, afirma Antônio Carlos Pires de Melo, assessor técnico do Patac e integrante da Rede Água da ASA Paraíba.

Participarão 90 pessoas, entre lideranças agricultores das sete microrregiões onde a ASA Paraíba atua, além de representantes de entidades de assessoria e professores pesquisadores do assunto. A programação da Caravana inclui painéis, rodas de diálogo e cinco visitas a quatro municípios por onde passa o canal da transposição, onde será feito um diálogo com famílias agricultoras através de apresentações de suas experiências.

PROGRAMAÇÃO:

1º Dia – 10/04/18 – terça feira:
08h – café da manhã e inscrição dos participantes
9h – Mística de Abertura | Apresentação da programação e dos objetivos
10h30 – “Panorama sobre a crise da água no Brasil”– Luciano Marçal – AS-PTA
Roda de diálogo
12h30 – Almoço
13h30 –“Panorama dos usos e conflitos das águas da Transposição do Rio São Francisco na Bacia do Rio Paraíba”– Professor Dr. Paulo Diniz – UFCG.
15h30 – Visita à obra da Transposiçãoem Monteiro.
17h30 – Orientação para as visitas no 2º dia do evento;
18h – Retorno para Sumé (CDSA) e jantar

2º Dia – 11/04/18 – quarta-feira
06h – Café da manhã
07h – Saída para as visitas.
GRUPO 1 – Camalaú
GRUPO 2 – Caraúbas
GRUPO 3 – Monteiro (Assentamento XiqueXique)
GRUPO 4 – Monteiro (Vila Produtiva Rural Lafaiete e comunidades ribeirinhas)
GRUPO 5 – São Domingos do Cariri
Almoço na comunidade visitada ou próximo.
Tarde: sistematização das experiências visitadas
16h – Retorno para Sumé
19h – Jantar e noite cultural

3º dia – 12/04/18 – Quinta Feira – Partilhando as vivencias e construindo caminhos
07h – Café da Manhã
Socialização das visitas de campo.
12h – Almoço
Debate
Encaminhamentos e avaliação da caravana.
Mística de encerramento
15h – Retorno dos participantes para seus territórios.

Em Camalaú a recepção ficará por conta dos professores Ezequiel Sóstenes (Kiel) e Mardén Sousa, que desenvolvem um trabalho de revitalização e proteção da mata ciliar nas margens do Rio Paraíba

COM CAMALAUNOTICIAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário